Dicas

O que eu levei para Santiago de Compostela

em

Consegui realizar meu pedal pelo caminho de Santiago de Compostela. Foi simplesmente incrível. Aprendi muita coisa bacana e começo a compartilhar com vocês através desse vídeo. Nele eu falo o que eu levei pra pedalar e o que eu usei e o que não usei.

Em breve estarei fazendo mais videos e falando mais sobre o caminho. Quem tiver alguma dúvida e quiser entrar em contato, terei um grande prazer em ajudar.

Abraços e boas pedaladas.

Sobre andandodebike

Olá, meu nome é Mauricio Gouveia, sou ciclista e fotógrafo e nesse Blog vou contar um pouco pra vocês sobre os lugares que eu pedalo e, dessa forma, quem quiser pedalar nesses lugares terá um pouco de informação de como chegar, por onde começar, distancias, dificuldades e outros detalhes. Ajudem a compartilhar e divulgar esse Blog pra que mais pessoas aproveitem as dicas e peguem suas bikes pra fazer essas pedaladas que são muito bacanas e faz muito bem pra vida. Espero que gostem e por favor comentem e deixem recados pra me ajudarem a construir um lugar interessante de informações pra quem quer se divertir de bicicleta. Abraços. Mauricio Gouveia

Recommended for you

14 Comments

  1. Sadi Schoeler

    6 de junho de 2016 at 18:08

    Caro Mauricio

    Parabéns pelos relatos e vídeos sobre Santiago de Compostela, certamente muito ricos!

    Para ajudar quem está planejando uma viagem mais longa pela Europa pergunto quanto ao Caminho de Santiago:
    1- Como ciclista vc teve que esperar para se hospedar nos albergues mais ao fim do dia para dar preferência aos caminhantes ou isso não é verídico? Ou os albergues não estavam muito lotados?
    2- Chegou a comparar o preço de pequenos hotéis/pousadas com o preço dos albergues?
    3- Todo lugar tinha máquina de lavar/secar roupa para poder levar tão pouca roupa como vc mostrou?
    4- O caminho todo é tão ruim quanto o vídeo da descida do Alto do Perdão?
    Tem como pedalar de sapatilha na maior parte dos demais percursos?
    5- Vc tem informações do Caminho Português, pois pretendo continuar de Santiago a Lisboa
    6- Qual a sua opinião entre fazer um bagageiro ou comprar um pronto na Europa?
    7- Se fosse novamente, compraria os alforges lá ou levaria daqui?
    8- O que deixaria para comprar na Europa se tivesse tempo lá (da bike aos acessórios)?

    Desculpe a quantidade de perguntas, mas as dúvidas são longas.
    Eu e minha esposa já pedalamos a Provance, no sul da França, mas num pacote que incluia guia, bikes e suporte de transporte de bagagem, foi a maior moleza. A ideia é ficar de 3 a 4 meses viajando, o que requer mto planejamento
    Agradeço seu apoio
    Abraço

    • andandodebike

      6 de junho de 2016 at 19:22

      Caro, Sadi!

      Suas perguntas são de grande valor para quem está se planejando. Vou tentar responder de forma breve, caso fique ainda alguma dúvida, podemos conversar através do face ou outra rede social para facilitar.

      01 – O caminho todo estava cheio. Porém eu só tive problema com relação a me hospedar com a bike em um albergue. Os outros aceitaram de forma tranquila em qualquer horário do dia. Teve um que eu parei as duas da tarde e ele aceitou sem problemas.
      02 – As pousadas durante o caminho são chamadas de hostal. Esses tem quarto com somente duas cama, ou cama de casal, com banheiro privado. O custos desses são de 30 ou 35 euros, enquanto o albergue é de 10 euros na média.
      03 – Todos os albergues que eu parei tinha maquina para lavar e secar ao custo de 3 euros cada.
      04 – Muitos trechos do caminho são bem tranquilos. Alguns sim são igual ao do vídeo, mas não é maioria. Você também pode fazer o caminho pelas carreteras em caso de alguma dificuldade.
      05 – As informações que eu tenho do caminho português é que ele é menos estruturado para receber os peregrinos. Mas não sei te falar até que ponto isso pode interferir na viagem.
      06 – O meu bagageiro foi adaptado por mim é me serve muito bem, porém na Europa tem boas opções para compra. Seria mais uma questão de custo.
      07 – Com certeza compraria os alforges lá. Principalmente os de trava rápida e a prova d’água. Eu vi uns muito bons no valor de 70 euros. Aqui no Brasil ficaria três vezes mais o valor.
      08 – Pra comprar lá é os alforges e a bolsa de guidão, também a prova d’água. No caso de luvas e outros acessórios não senti muita diferença de preço. Apesar de não ter pesquisado tudo.

      Em breve vou fazer um vídeo sobre dicas e vou incluir algumas perguntas que você me fez aqui.
      Espero ter colaborado para sua viagem. Obrigado por acompanhar o Andando de Bike.

      Qualquer dúvida entre em contato.

      Grande abraço!

  2. Felipe Melo

    2 de fevereiro de 2017 at 18:38

    MUITO LEGAL SEU VIDEO, FAÇA UM OUTRO SOBRE o que você aprendeu de verdade ( não técnico-bike- preparativo, e sim, qual a mensagem ?

  3. Rafael

    20 de fevereiro de 2017 at 22:36

    Olá, Maurício!
    Farei o caminho francês iniciando no dia 02/05/17.
    Optei por alugar a bike, porque aí já vem com os acessórios e não preciso me preocupar com o transporte.
    Gostaria de fazer algumas perguntas:
    1- Você acha indispensável a calça impermeável? Pergunto isso, porque eu estou planejando levar 2 calças de ciclismo e uma bermuda térmica para usar por baixo da calça.
    2- Você indicaria algum modelo de tênis para pedalar ou usou sapatilha?
    3- A cada parada nos albergues e nas paradas para comer, você retirava os alforges da bike? Quando era necessário retirar os alforges?

    Desde já agradeço pela presteza.

    • andandodebike

      28 de maio de 2017 at 17:40

      Rafael, desculpe a demora em responder… A calça impermeável é bom ter, se vc pegar uma chuva com o tempo frio, fica bem difícil não passar frio. Eu usei tênis mesmo, é um pedal de turismo, sem necessidade de sapatilha. Não se preocupe com alguém mexer no seu alforje. As coisas por lá são bem diferentes do Brasil.
      Grande abraço e bom pedal.

  4. Cristiano

    17 de março de 2017 at 23:17

    Meu amigo parabéns pelos vídeos, já assisti várias vezes. Principalmente o diário do ciclista. Mauricio minha pergunta é sobre a bike a minha bike é uma Specialized de alumínio fuul pesa mais ou menos 12kg será que vou ter problema por causa do peso?

    • andandodebike

      28 de maio de 2017 at 17:35

      Cristiano, você tem até 21 kg pra carregar no avião sem exceder os limites impostos por ele… A minha bike tmb pesa 12 kg e não tive problema nenhum.

  5. Cristiano

    17 de março de 2017 at 23:23

    Amigo quanto foi o custo dessa viagem saindo de Recife?
    Completei 50 anos e estou pretendendo ir agora em agosto ou setembro
    Um abraço

    • andandodebike

      28 de maio de 2017 at 17:34

      Olá, Cristiano. Eu gastei em torno de oito mil reais no total. Mas esse número pode variar de acordo com as passagens áreas e a quantidade de dias que você vai ficar por lá…

  6. Fernando Figueiró Mendes

    29 de julho de 2017 at 05:49

    Olá Maurício!
    Em 05/2018, eu farei o caminho Francês de bike. Eu estou naquela fase de colher o máximo de informações que eu conseguir. Se você puder me ajudar com algumas dúvidas, eu ficaria muito agradecido.
    São elas:

    1- a minha entrada na Europa será por Madri. Você teve algum contratempo de levar a sua bike nos transportes que você utilizou para chegar a Saint Jean? ( Por conta do volume da sua bagagem )

    2- Quanto tempo antes do início da viagem, você recomenda para requerer a credencial do peregrino?

    3- eu irei em meados do mês de Maio. Foi no período que você fez? Se foi, o clima por lá como é?

    Por hora são essas questões Maurício. Agradeço muito a sua atenção.

    Abraço

    • andandodebike

      31 de julho de 2017 at 10:21

      Olá, Fernando!

      Obrigado por acompanhar o Andando de Bike… Fazer esse caminho é muito bacana e as dúvidas vão surgir durante sua preparação. O que eu puder te ajudar, fico a disposição.
      Eu entrei por Madri, não tive problemas com minha bagagem. Sai de metrô do aeroporto até a estação de trem, peguei o trem até Pamplona e um ônibus até San Jean. Foi tudo tranquilo.
      Pra voltar de Santiago para Madri de trem é que eu tive problemas. Não queriam deixar eu entra com a bike no trem por causa do tamanho. Porém, eu consegui resolver o problema e fiz a viagem. Mas foi um sufoco.

      Pra você pedir a credencial não tem um tempo certo… eu pedi com uns três meses de antecedência em uma associação em São Paulo.

      Eu fui no mês de maio mesmo. Peguei um pouco de chuva e frio. O problema foi quando eu peguei os dois ao mesmo tempo. Isso me fez passar um apuro. Em alguns dias eu também peguei muito vento contar. Mas foi dois dias somente.

      Neste video eu falo como foi minha viagem, é um vídeo documentário e que serve pra ajudar quem está se planejando… https://www.youtube.com/watch?v=z37_tgXswX8

      Qualquer dúvida entre em contato também pela página no face.. https://www.facebook.com/blogandandodebike

      Abraços!

  7. Fernando Figueiró Mendes

    7 de agosto de 2017 at 09:48

    Olá Maurício.
    Suas dicas são de muito valor.

    Em um vídeo seu, você citou que pelo caminho há albergues de Brasileiros. Você se hospedou neles? Teve que fazer reserva antecipada? Se sim, quanto tempo antes? Tem alguma refeição incluída nos albergues que você ficou?

    Com relação a água pra beber pelo caminho, tem lugares ( fontes, bicas…) pra repor ou tem que comprar mesmo?

    Só pra eu ter como referência, seria possível você me fornecer sua planilha da viagem? ( tipo… dia 1 de tal lugar a tal lugar, dia 2… ).

    Ah, e se você puder me fornecer a lista dos albergues também…

    Por hora é isso Maurício. Essa é uma fase de muitas dúvidas, não é mesmo?

    Obrigado pela atenção!

    Abraços

  8. RAFAEL PARCIANELLO SCHIAFINO

    7 de maio de 2018 at 20:31

    Parabéns pela viagem e documentário. Gostaria de saber onde ficou sua mala, roupas da viagem, mala da bike durante o caminho? Abraço.

    • andandodebike

      17 de maio de 2018 at 08:24

      Bom dia. Obrigado por acompanhar o Andado de Bike. Eu carreguei minhas coisas o tempo todo na bike, nos alforges. O mala bike eu enrolei e deixei preso embaixo do banco. Ele depois de enrolado não fica muito grande.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *